Para quem ama Photoshop (2) O que é CMYK?

CMYK é um sistema de cores subtrativo (mistura de pigmentos) usado em imprensas, impressoras e fotocopiadoras. Seu nome é uma sigla derivada dos nomes de suas cores primárias Cyan (ciano), Magenta (magenta), Yellow (amarelo) e blacK (preto). Muitas combinações existem para as quatro cores, pois cada uma das quatro pode assumir várias tonalidades. Este sistema é mais usado na impressão em papel, realizando-se a sobreposição das impressões das cores. Uma determinada combinação das três cores CMY gera algo bem próximo de preto com pigmentos reais, por isso o sistema se utiliza da tinta preta em separado, o que garante um melhor resultado no mundo real e reduz a exigência de tinta na impressão.

Em monitores e televisores usa-se um sistema de cores aditivo (mistura de luz) chamado RGB invés do CMYK. RGB significa Red (vermelho), Green (verde) e Blue (azul).

Para obter mais detalhes sobre CMYK você pode começar consultando a Wikipédia.

A proposta deste artigo é ensinar a preparar trabalhos gráficos (feitos com o Inkscape) no sistema de cores CMYK. Leia pelo menos as duas seções a seguir para descobrir se o artigo completo será realmente útil a você.

Quando eu preciso usar CMYK?


Você pode estar pensando: "Eu sempre trabalhei com imagens e nunca me preocupei com CMYK; sempre os resultados em papel sairam como esperados. Por que ou quando eu devo aprender a usar CMYK?" Há algumas possibilidades para entender porque você até então não precisou de CMYK:

- Você pode ter imprimido sempre as imagens em sua impressora doméstica;

Apesar das impressoras de pequeno porte usarem fisicamente CMYK, ou seja, seus cartuchos conterem as quatro cores CMYK, os drivers da maioria delas traduz suas imagens de RGB para CMYK no momento da impressão, automaticamente. Esta praticidade é conveniente e aos usuários domésticos, e é possível porque eles não necessitam de impressões em larga escala.

- Você pode ter submetido imagens RGB para gráficas e não ter tido problemas;

Para alguns trabalhos gráficos é fácil e prático o profissional da gráfica fazer as devidas conversões de RGB para CMYK, então ele prefere não incomodar o cliente. Há quem defenda que é obrigação do profissional realizar tais conversões em todos os casos, sempre. Entretanto, muitas vezes um trabalho gráfico tem muitas partes, e nesses casos a conversão ficaria muito dispendiosa para o profissional da gráfica, em termos de tempo e mão de obra demandados para as devidas conversões.

Você não está satisfeito, ainda tem uma dúvida básica: "Porque as gráficas não podem usufruir da mesma praticidade oferecida a um usuário doméstico? O driver de dispositivo do equipamento de impressão não poderia fazer a conversão automática de RGB para CMYK, tal como as impressoras domésticas fazem?"

Poderia. Isso acontece em "gráficas rápidas", e que fazem plotagem, trabalhos unitários. Só não é viável para "gráficas de larga escala"; aquelas que imprimem milheiros de material publicitário (folders, jornais, revistas etc). Estas gráficas têm equipamentos que tornam a impressão barata para larga escala. O problema é que, falando de forma simples, aqueles equipamentos implementam a sobreposição de cores, em parte, de forma manual.

Ele é Blogueiro, Designer gráfico e Palestrante... Auditório, ele é bom ou não é?!?!?

COMPARTILHAR

POSTAGENS RELACIONADAS

Próxima
« Voltar
Anterior
Próxima »
A reprodução do conteúdo deste blog é permitida e incentivada, desde que citada e linkada a sua fonte.
Todas as postagens aqui são linkadas.