Por outro lado: Serra diz que faltam medicamentos contra Aids no Brasil

Em evento em SP, candidato disse que a culpa é da 'falta de planejamento'.

Ele se disse a favor da união civil de homossexuais 'para efeitos de direitos'.

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, disse nesta quinta-feira (14) que é preciso reforçar as campanhas de prevenção à Aids no país. "O problema da transmissão no Brasil não está extinto", disse. Ele participou nesta tarde de evento do Fórum das ONGs-Aids do Estado de São Paulo, onde assinou uma carta compromisso com prioridades das entidades para o setor.

Serra criticou ainda o governo federal por uma suposta dificuldade dos pacientes em receber dois medicamentos. "A campanha contra a Aids no Brasil começou a derrapar por falta de medicamentos. O que está por trás disso? Falta de planejamento", disse. Ele criticou ainda a forma como é conduzida a quebra de patentes de remédios ligados ao combate à doença.


Para ele, essas medidas devem ser sistemáticas e não "cinematográficas". Serra defendeu que sejam feitas parcerias com países como a Índia para obtenção das matérias primas e que seja diminuida a importância das importações no plano de combate à Aids.

O candidato afirmou que o Brasil conseguiu avanços e é elogiado no mundo por sua política no setor. "Minha preocupação é que isso não relaxe as campanhas de prevenção", disse.
Para o tucano, uma das estratégias a ser mantida é a distribuição de preservativos, ainda que lideranças religiosas repudiem o uso do método.  "No Ministério da Saúde nós fizemos uma política de difusão dos preservativos e tudo mais. A Igreja nunca colocou obstáculos. A Igreja sempre colocou sua posição, mas nunca fez campanha propriamente contra isso", disse.

Serra não quis comentar as pesquisas de intenção de voto.

União civil

O tucano foi questionado sobre a carta que a campanha da adversária Dilma Rousseff (PT) prepara, na qual a candidata deverá se comprometer a não enviar ao Congresso nenhum projeto que modifique a legislação sobre aborto, casamento homossexual e liberdade religiosa. "Ela tem lá os problemas dela", disse o candidato.

Perguntado sobre o que pensa da união civil entre pessoas do mesmo sexo, ele afirmou:

"A questão do casamento propriamente dita é uma questão que está ligada às igrejas. Agora, a união em torno de direitos civis, ela já existe inclusive na prática, pelo Judiciário, e sou a favor para efeitos de direitos, união civil. Outra coisa é casamento, que tem um componente religioso das igrejas e tudo mais. Aí, cada igreja define sua posição."

Ele é Blogueiro, Designer gráfico e Palestrante... Auditório, ele é bom ou não é?!?!?

COMPARTILHAR

POSTAGENS RELACIONADAS

Próxima
« Voltar
Anterior
Próxima »
A reprodução do conteúdo deste blog é permitida e incentivada, desde que citada e linkada a sua fonte.
Todas as postagens aqui são linkadas.